terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Cumprindo missões estabelecidas

Ao vir para esta viagem, eu me programei para visitar o quanto eu aguentaria de exposições e museus.
Em Londres, fiz o roteiro. Em Paris, as filas são enormes, mas já aprendi a manha, abre às 10, chego antes.
Foi o que aconteceu hoje para ver a exposição do Hotel de Ville,  Brassai Por Amor a Paris, fantástica!
Uma série sobre Paris do séc XX, com participação de Picasso,. Ele retratou as ruas, cabarés, muros, me lembrei do Zé Filizola, enfim, excelente série, vai ficar até 29 de março, se alguém vier neste período, imperdível.
Saindo do Hotel de Ville, peguei o metro, linha 10 e desci na ultima estação, Port Saint Cloud.
Museu e Jardins de Albert Kahn.
Na volta, por dica da Marcia Magda, voltam de ônibus. Tem duas linhas, 52 Opera e 72 Hotel de Ville, você volta conhecendo um lado de Paris que turista não anda.
Já tinha estado lá na primavera do ano passado, dica do André Dorigo, mas só os jardins estavam abertos, não pude ver a coleção.
Pois bem, hoje haviam duas exposições. A de autocromo, e outra mostrando retratos e feitos patrocinados por ele.
Tudo isso ocorreu no início do séc XX.
Os autocromos feitos ao redor do mundo, na década de dez, são de uma perfeição, parecem fotos tiradas recentemente, estou falando em técnica e conservação.
A outra parte, mostra um banqueiro preocupado com o desenvolvimento. Em um dos prédios da casa dele, ele transformou em um laboratório de biologia para ajudar um médico a encontrar a solução para umas doenças.
Tem até retrato dos Guinle, amigos dele. São citados como filantropos, Hospital Gafree e Guinle, construído para atender população carente.
E os jardins, são de uma tranquilidade, é a segunda vez que vou lá, e a vontade é de ficar o máximo de tempo possível, hoje estava frio e chovendo, e eu gripei.
Quem tiver oportunidade de vir a Paris, não deixe de visitar, €4 a entrada cheia.
Falar em entrada cheia, em Londres me perguntaram se eu tinha mais de 60, e aqui em Paris, coisa meio rara, me ofereceram o banco no metro, estou velho, agora é deitar e esperar o fim!
Depois disso tudo, tentei ir ao Museu D'Orsay, eram 3:30h, fechava as 6h, a fila saia do curral e chega até a rua em frente, desisti, vou tentar outra hora.
Bom, tenho aproveitado a viagem a minha maneira, fazendo aquilo a que me programei, agradeço as inúmeras sugestões que tenho recebido, mas o tempo é curto para tanto, como estou numa fase egoísta, primeiro eu.
Hoje, na fila do Hotel de Ville, uma senhorinha que estava atrás de mim, estava guardando lugar para uns amigos, eu acho sacanagem, todos estavam esperando por pelo menos meia hora para entrar.
Quando ela me perguntou se eu me importava, fiz cara de tanto faz, já o senhor que estava na minha frente, fez cara feia, não é que a titia puxou a língua para ele? Coisa feia tia!
Por hora é só.
Até!

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Ah, também tenho esse "problema" quando viajo: todos querem ajudar e a lista de sugestões fica enorme. Faça o que vc programou. Se sobrar tempo, peça as tais dicas que a gente manda. E, em Paris, vc vai ter o que fazer por mais de ano...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sempre o que fazer em Paris em qualquer época do ano. Bjs

      Excluir